24 agosto, 2009

Rejeição e Perdão

A Tv Record através do Reality show a Fazenda conseguiu emocionar o Brasil com a história de vida de um dos participantes. Um sentimento muito triste, mas comum em muitas famílias brasileiras e por que não dizer no mundo.
São realidades que acontecem diariamente, porém o Carlinhos abriu em rede nacional o que é se sentir rejeitado, abandonado, largado, afastado do berço familiar.
Quando criança uma vida conturbada; pais separados, vícios, brigas, tormento para quem nasceu e sonhava em ter uma vida feliz.
Carlinhos é um exemplo de perseverança, mesmo em meio a tantas desavenças precisou de si mesmo para não desistir e não esgotar as forças. Passou pela Fundação casa umas 4 vezes, dormiu embaixo de lona, plástico e em cima de papelão. Conhecendo os dois lados, miséria e hoje bem-estar, retrata sua vida deixando um exemplo que em qualquer situação se pode vencer.
Sentir-se rejeitado é pouco e nada em meio de tanto tormento. É buscar resposta e não ouvir nada. É procurar calor e receber um saco de leite com cola para enganar o frio em meio de uma cidade barulhenta onde em si mesmo se refugiava.
Falar ao vazio ou não falar era indiferente ao tanto faz, profundamente vivendo só sem perspectiva assim estão muitas famílias e crianças abandonadas.
Seguramente todo rejeitado, busca um caminho de esperança e mesmo criança no sonho de que tudo é brinquedo a mágoa, a tristeza, a falta da família marca dentro de si uma postura de desequilíbrio e descontentamento. Crescer sozinho e ingênuo em uma pequena criança que ainda sonha com um futuro feliz.
Muitos Carlinhos rejeitados também querem ser uma estrela chamada pelo seu nome, ainda não subindo ou descendo um palco, de longe todos os dias eles avistam uma platéia de pessoas que não passam por esse problema e também querem alcançar essa vida de aplausos, assobios pelo menos um minuto de atenção e o abraço da sua família.
Fico imaginando o medo dessas criaturas, pois a vida vai passando e eles vão crescendo sem sobreaviso em qualquer dia comum, é difícil, a luta interior completamente treinado a observar o escuro sem muita escolha e nesse seu coração amargurado muitos não encontram forças e morrem, outros continuam sofrendo nas ruas e aqueles que reconhecem dentro de si que há uma esperança se esforça; vence as humilhações, o egoísmo, e até encontram pessoas dispostas a ajudá-las e acabam vencendo.
Mesmo na ignorância da fé, esse grande exemplo Carlinhos atribui e reconhece que Deus nunca o deixou só, nas suas orações, lágrimas seguramente encontrou a resposta de um filho rejeitado e hoje um homem amado pelo Brasil.
O perdão foi o maior premio e ele soube reconhecer, pois “Porque, quando o meu pai e minha mãe me desampararem, o Senhor me recolherá” Salmo 27:10.
Hoje exemplo pra muitos e até para a sociedade quando muitos desses meninos não escolhe o que se pode passar, mas encontram portas que lhes abrem caminhos na realidade das ruas de cada manhã.
A AMC vem acompanhando histórias de vidas semelhantes e com suas parcerias ameniza e acolhe necessidades no Lar do Menor em Carapicuíba proporcionando assim uma oportunidade de mudança no Brasil que vivemos.

Ctc.

2 comentários:

Fã Clube disse...

Que bom termos pessoas com esta sensibilidade e visão querida Carlinda!!!!
Enquanto muitos estão surpresos,talvez até decepcionados com a postura do Carlinhos voce consegue nos fazer enxergar o outro lado da situação.
Que realmente antes de criticarmos ,precisamos ver os motivos que geram determinados comportamentos e reações nas pessoas e termos compaixão para podermos orar por situações que até precipitadamente julgamos erroneamente.Obrigada por nos despertar.Sula Miranda

Joana Darc disse...

Amei a coluna. Acho que o trabalho com crianças é tudo de bom pois além de ensinar e dar amor aprendemos muito com eles. Parabens para voces... serei apartir de hoje fã desse blog.beijos